Topo

Surpresa - Mãe aciona Polícia Militar para prender irmão suspeito de estuprar sobrinha

cel padilha aeronave surpresaNo distrito de Surpresa a cerca de 200km da sede, Guajará-Mirim, uma dona de casa acionou a Polícia Militar para prender seu irmão, suspeito de estuprar a sobrinha. O indivíduo furtou uma embarcação, conseguiu fugir antes da chegada de uma guarnição da Polícia Militar, porém, por determinação do comandante-geral coronel PM James Padilha, a Polícia Militar vai envidar todos os esforços em diligenciar, localizar e efetuar a prisão do suposto agressor. . Tendo em vista a distância da localidade e o meio de transporte ser o rio, o coronel Padilha, solicitou a Sesdec apoio do Núcleo de Operações Aéreas para fazer o deslocamento até Surpresa e conduzir a vítima e sua genitora até Guajará-Mirim e novamente levá-los ao Distrito.

“A presença do Estado é fundamental no atendimento a qualquer pedido do cidadão no esforço em coibir tão hedionda conduta, infelizmente muito comum nos rincões amazônicos. Além de acolher da menor maneira possível a vítima de tal violência”, disse o coronel Padilha.

O tenente PM Biscmarck de Araújo, responsável pelo policiamento em surpresa informou que a mãe da vítima pediu socorro à Polícia Militar através de mensagem de whatsapp e que de imediato a Policial Militar Auriene Niederauer, ao chegar entrevistou a vítima e confirmou a violência sexual, constatando inclusive que o fato já havia ocorrido diversas vezes, contexto no qual foi informado ainda que “o tio da menor entrava no quarto, tapava sua boca e praticava a violência sexual”.

A vítima de 13 anos apresenta quadro depressivo e possui marcas de arranhado nos braços indicando uma tendência à prática do suicídio, talvez por conta do quadro de violência que vem sofrendo. O acusado, tio da vítima, tem 26 anos e está foragido, sendo que a guarnição está em diligência pelo local no intuito de localizá-lo e prendê-lo, pois segundo informações da mãe da menor vulnerável que foi vitimada, ele, ao saber que a PM fora acionada pela mãe ameaçou a família e prometeu atear fogo na casa.

Deslocamento e crimecel padilha aviao surpresa

Como se sabe, o crime sexual é um crime material e a prova pericial é incontestável para a condenação, pelo que se fez necessário o deslocamento da menor com um responsável até o município de Guajará-Mirim para ser submetida a exame médico de constatação de conjunção carnal, bem como a possível colheita de outras provas materiais, como sêmen, haja vista a possibilidade de tais resquícios serem encontrados nas roupas íntimas da vítima, além de fortes indícios de tais probabilidades.

Distância

O comandante-geral disse que pediu apoio aéreo para se ter uma pronta resposta. Ele também serviu para que fosse melhor acolhida a menor vítima da violência sexual e ainda, tendo em vista que são necessárias 6 horas de viagem subindo o Rio Mamoré, para chegar ao Distrito. Realizar o deslocamento até Guajará-Mirim com a vítima, o retorno para buscar os policiais e novamente deslocamento à Guajará-Mirim, serão necessárias 18 horas de navegação, que só podem serem feitas durante o dia, em virtude dos perigos e bancos de areia do Rio Mamoré, além do fato de que, em sendo capturado o acusado da prática do fato narrado, não será possível conduzir todos na mesma embarcação.

Fonte Dcoms

Jornalista Lenilson Guedes